segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Palmarés Cine'Eco 2017


O filme italiano ‘Coros do Anoitecer’, de Nika Saravanja e Alessandro D’Emilia, sobre as experiências do compositor eco-acústico David Monarch, na sua busca para registar uma paisagem sonora pura e contínua em 3D, no mundo distante e esquecido das florestas tropicais é o vencedor do CineEco 2017.

O CineEco 2017, é organizado como habitualmente pelo município de Seia sendo este ano reforçado pela valorização dos recursos naturais preconizada pelo Festival iNATURE Serra da Estrela e que estará bem patente as atividades paralelas do Festival, como nas comemorações que antecedem a semana do CineEco.

O CineEco é um dos mais antigos festivais de cinema de ambiente do mundo e integra a Green Film Network, uma plataforma de 40 festivais, da qual é igualmente membro fundador.

HP lança novas experiências de PC para Trabalhar, Viver e Colaborar


No HP Reinvent, a maior conferência mundial de parceiros, a HP  apresentou a sua visão de conceber soluções para melhorar a forma como as pessoas trabalham e vivem, com a introdução de novos portáteis profissionais premium e All-in-one, e de monitores e acessórios inovadores. Tal como muda o lugar e a forma como as pessoas trabalham, as novas soluções de colaboração e a Série HP Elite 1000 foram concebidas para permitir maior produtividade, inspiração e troca de ideias, para além das tradicionais quatro paredes do escritório.

O conceito de como e onde o trabalho acontece está a evoluir rapidamente, com 54% do trabalho a ser feito fora do escritório1. As horas de trabalho realizado em casa devem aumentar 150% em dois anos. Esta evolução é impulsionada por uma força de trabalho cada vez mais composta por millenials, com 88 por cento desse grupo a esperar a integração da tecnologia na sua vida e trabalho. Este mesmo grupo espera que a tecnologia melhore a sua produtividade e processos - mas certas áreas, como a colaboração, não estão à altura das expectativas, com 59% dos millennials insatisfeitos com as soluções atuais. E com esse acréscimo  no uso da tecnologia, aumentam as preocupações de segurança: os ataques mais do que duplicaram nos últimos seis anos . Com essas ideias em mente, a HP está empenhada em permitir que a próxima geração de colaboradores seja produtiva, colaborativa  e segura - não importa onde estejam ao longo do dia.

"À medida que as fronteiras tradicionais entre o trabalho e a vida pessoal desaparecem, a HP está focada no desenho de experiências que permitam aos utilizadores a transição perfeita entre os dois", afirma Benoit Bonnafy, vice-presidente, Business Personal Systems EMEA, HP Inc. "Com as novas soluções de colaboração e a mais recente série Elite 1000, os dispositivos são concebidos para apresentarem um design inovador e fino, o melhor desempenho da sua classe, segurança e capacidade de gestão líderes do setor, e experiências para uma melhor colaboração que se adapta ao estilo de trabalho e ao estilo de vida de cada utilizador ".

Reconhecendo que o trabalho ocorre cada vez mais fora do escritório tradicional, a série HP Elite 1000 é projetada para trabalhar e entreter, com um design fino e leve, um excelente desempenho, inclui os melhores ecrãs da indústria e foi projetada para passar no teste MIL-STD para os ambientes mas agressivos. A série Elite 1000 está otimizada para a colaboração e conectividade com: chaves de colaboração integradas, para gerir facilmente chamadas com o toque de um botão, certificações Skype para empresas, áudio da Bang & Olufsen, HP Audio Boost e cancelamento de ruído HP para otimizar o áudio e chamadas de vídeo. Além disso, a Série Elite 1000 virá com o HP PhoneWise, a única solução Windows® do mundo para texto e chamadas do PC em dispositivos iOS e Android™ para transições mais fáceis entre dispositivos. Como parte da família dos PCs mais seguros e geríveis da HP, estes dispositivos possuem o HP Sure View – o único ecrã de privacidade integrada do setor - juntamente com o HP Sure Start, o HP Sure Click, o Windows Hello e o HP Multi-Factor Authenticate com Autenticação Intel®.

Casino Estoril recebe Rouxinol Faduncho


A partir de hoje o Auditório do Casino Estoril estreia um ciclo de representações do espectáculo “Mais do Mesmo”. Com a sua habitual irreverência, o actor Marco Horácio interpreta o famoso personagem Rouxinol Faduncho. Todos os dias, até 31 de Outubro.

Criado e interpretado pelo actor e humorista Marco Horácio, Rouxinol Faduncho instalou-se no panorama musical e humorístico nacional ao longo destes 12 anos, como um personagem único, que ganhou vida própria e conquistou milhares de portugueses. 

Rodeado dos melhores músicos, Rouxinol Faduncho propõe uma sonoridade única em que o fado predomina mas onde o jazz a bossa nova e até o rock co-habitam em harmonia.

E como, "em equipa que ganha não se mexe", o novo espectáculo trás "Mais do Mesmo": mais cães de loiça, mais boa-disposição, mais das mesmas e melhores versões musicais, mais da mesma dedicação e parvoíce com a mesma equipa que fará tudo para continuar a divertir o mesmo e mais público português durante uma hora e tal de alegrias e sorrisos. 

“Mais do Mesmo” é um espectáculo musical único, em Portugal, mobilizando-se por uma causa que continua nobre e singular: Ajudar os Cães de Loiça.

Casino Lisboa inaugura ciclo de concertos Arena Live a 30 de Outubro


Com um cartaz de luxo, o Casino Lisboa inaugura, já no próximo dia 30 de Outubro, às 22h00, o ciclo de “Concertos “Arena Live 2017”. O ambiente de festa está garantido, até ao final do ano, por um notável elenco de intérpretes. Trata-se de uma série de 10 concertos agendada para o palco central do Arena Lounge, às Segundas-Feiras, e que culmina com mais uma aguardada noite de Réveillon. A entrada é livre.

“Porto Sentido”, “Não Há Estrelas no Céu”, “Sei de Uma Camponesa”, “O Prometido é Devido”, “Porto Covo” ou “Lado Lunar” são, apenas, algumas das composições incontornáveis do repertório de Rui Veloso que abre, a 30 de Outubro, o ciclo de “Concertos Arena Live 2017”.

Referência no panorama da música nacional, o artista portuense regressa, assim, ao Arena Lounge para apresentar, num formato intimista, alguns dos seus principais sucessos discográficos que marcam diferentes épocas da sua extensa carreira.

Em concerto inédito no Casino Lisboa, Gisela João actua, a 6 de Novembro, privilegiando as melhores composições do álbum “Nua”. O novo registo discográfico dá voz às palavras de alguns poetas da actualidade, visita temas clássicos e tradicionais e surpreende o público, mostrando que, vinda de onde vier, e vem de muitos sítios, a música que passa pela voz de Gisela João é fado. É esse o seu fado.

Considerada uma das vozes arrebatadoras do panorama do fado, Gisela João é já uma das mais importantes intérpretes da música portuguesa, tendo recebido inúmeros galardões, entre os quais se destacam, por exemplo, os Prémios Blitz, Time Out, Expresso e o Globo de Ouro para Melhor Intérprete Nacional.

Após ter esgotado, em 2016, o Arena Lounge, Carlão regressa, a 13 de Novembro, ao Casino Lisboa, privilegiando as melhores composições do álbum “Quarenta”. O artista identifica-se facilmente com o público e com ele estabelece uma ligação quase imediata, tornando-o seu cúmplice nas aventuras e desventuras que partilha dentro e fora das músicas nas suas actuações ao vivo.

Trazendo na bagagem o álbum “Quarenta” (que teve como primeiro single o estrondoso sucesso “Os Tais”), o EP “Na Batalha” e os singles de 2017 “Agulha No Palheiro” e “Viver Pra Sempre”, os primeiros avanços do álbum a ser editado ainda este ano, o ex-vocalista dos Da Weasel é acompanhado ao vivo por Dj Glue, Bruno Ribeiro (Voz),  Nuno Espírito Santo (Baixo) e Gil Pulido (Guitarra e Teclados).

Em noite de celebração da música portuguesa, os GNR actuam, a 20 de Novembro, no Casino Lisboa. Rui Reininho, Toli César Machado e Jorge Romão construíram um sólido percurso no meio artístico nacional, coleccionando numerosos êxitos que foram, consequentemente, distinguidos com prestigiantes prémios. 
Em 2016, os GNR comemoraram 35 anos de carreira numa digressão que culminou, já este ano, com um memorável concerto que esgotou o Salão Preto e Prata do Casino Estoril. A banda portuense apresenta-se, desta vez, no Casino Lisboa, prometendo uma hora e meia repleta de êxitos como, por exemplo, “Dunas”, “Bellevue”, “Efectivamente”, “Video Maria”, “Morte ao Sol”, “Sub-16”, “Sangue Oculto”, Ana Lee”, “Pronúncia do Norte”, “Popless” ou “Mais Vale Nunca”.

Slow J estreia-se, a 27 de Novembro, no ciclo de “Concertos Arena Live” do Casino Lisboa. O artista é um caso sério da nova música feita em Portugal e o seu álbum “The Art of Slowing Down” confirma-o. É um disco que se ouve da primeira à última faixa, porque o som e as palavras conquistam a atenção das pessoas.

Slow J apresenta um novo espectáculo, baseado nos temas deste disco, mas nunca esquece a sua origem, recordando também verdadeiros hinos, como “Cristalina”. É uma experiência “live” sem precedentes cujo lema é “casa em todo o lado, pode entrar quem quer”. Em palco, com Fred na percussão e Francis Dale nas teclas e guitarra, as palavras das suas canções ganham uma dimensão ainda maior que, junto com a luz e o vídeo (conteúdo a cargo de Made in Lx), criam uma energia contagiante.

Para a noite de 4 de Dezembro, o Casino Lisboa propõe Branko e Convidados. Tendo como ponto central toda a sua obra enquanto produtor (seja em nome próprio ou em colaborações em discos de outros), João Barbosa (aka Branko) propõe um roteiro especial com foco em pontos como a global club music, bem como visões mais afro ou tropicais de uma música electrónica cada vez mais presente no quotidiano. 

Os Convidados são parte essencial desta noite, dado que são cunho e alavanca da reafirmação duma linguagem musical, que não conhece fronteiras e de que Branko tem sido porta-estandarte.

Em noite de “Concerto Arena Live”, David Carreira estreia-se, a 11 de Dezembro, no Casino Lisboa. O mediático intérprete sobe ao palco para apresentar “3 World Tour”, assegurando uma actuação muito interactiva com o público. 

Com uma agenda muito preenchida, David Carreira protagoniza, ao vivo, um concerto renovado que tem merecido os aplausos do público, tanto em Portugal como no estrangeiro. “3 World Tour”, alargou o conceito de “3 Tour”, (digressão de 2016), inserindo alguns temas originais, nomeadamente o grande sucesso francês “Domino”, a par com os inúmeros êxitos da sua carreira e com o novo single “Ficamos Por Aqui”, editado no passado mês de Junho.

Noutra aguardada estreia, Agir apresenta-se, a 18 de Dezembro, no Casino Lisboa para interpretar os seus principais êxitos discográficos, bem como alguns temas inéditos que integram o seu próximo álbum, cujo lançamento está previsto para 2018.

Com um percurso consolidado por várias experiências no panorama musical, Agir editou, em 2015, “Leva-me a Sério”. O álbum integra 19 canções, escritas e produzidas pelo próprio, que demonstram o imenso talento de um dos principais cantores da nova música portuguesa de expressão urbana.

Num concerto especial, os Gospel Collective actuam em plena noite do Dia de Natal no Casino Lisboa. Dirigido pela cantora e maestrina Anastácia Carvalho o grupo é formado por  cantores profissionais de diversas áreas musicais e nacionalidades lusófonas, que encontram neste conjunto um lugar de comunhão única e singular, apresentando um repertório que visita não só os tradicionais espirituais negros, como o new-urban gospel ou afrogospel.

É com este coração de espalhar a Palavra de modo cantado que o Gospel Collective tem feito inúmeros concertos em nome próprio e se encontra já em estúdio a preparar o seu 1º álbum, apresentando repertório novo e em parte original. Reunidos desde 2010, os quase 30 membros do Gospel Collective são herdeiros de um percurso no circuito da música gospel em Portugal que começou em 1999 com o grupo D'Vine, passou pelo grupo 100 Vozes Gospel e mais tarde pelo Faith Gospel Choir.

Em plena noite de Réveillon, Ana Moura encerra o ciclo de “Concertos Arena Live 2017”. A artista sobe ao palco para interpretar as melhores composições do mais recente álbum intitulado “Moura”, bem como outros sucessos do seu percurso musical. 

Depois de “Desfado” se ter tornado o álbum mais vendido de um artista português nos últimos dez anos, Ana Moura lançou “Moura”, disco que deu continuidade à sua parceria com o reputado produtor norte-americano Larry Klein. Em palco, Ana Moura continua a contar com o mesmo excelente naipe de músicos que a tem acompanhado nos últimos anos: Ângelo Freire na guitarra portuguesa, Pedro Soares na viola de fado, André Moreira no baixo, João Gomes no teclado, e Mário Costa na bateria e percussão. 

Ciclo de “Concertos Arena Live 2017”
- 30 de Outubro: Rui Veloso
- 06 de Novembro: Gisela João
- 13 de Novembro: Carlão
- 20 de Novembro: GNR
- 27 de Novembro: Slow J
- 04 de Dezembro: Branko e Convidados
- 11 de Dezembro: David Carreira
- 18 de Dezembro: Agir
- 25 de Dezembro: Gospel Collective (Dia de Natal)
- 31 de Dezembro: Ana Moura (Réveillon)

O Arena Lounge do Casino Lisboa acolhe, a partir do dia 30 de Outubro, o ciclo de “Concertos Arena Live 2017”. O programa decorre às Segundas-Feiras, pelas 22h00, excepto na noite de Reveillon. A entrada é livre.

Casino Estoril inaugurou exposição "Transcendências" de António Macedo


O Casino Estoril inaugurou, na passada Quinta-Feira, a exposição “Transcendências”, da autoria do artista plástico António Macedo. Várias personalidades de relevo da sociedade portuguesa, nomeadamente das artes plásticas, marcaram presença na Galeria de Arte. Esta mostra individual de pintura está patente até 20 de Novembro. A entrada é gratuita.

António Macedo nasceu no Porto, em 1955, tendo frequentado a Faculdade de Belas Artes do Porto. Posteriormente, fixou residência em Londres, em 1975, onde perseguiu os seus estudos, tendo sido representado por prestigiadas galerias inglesas. 

Em 1998, o seu trabalho passou a ser representado, em Portugal, pela Galeria Cordeiros, no Porto. Constam do seu currículo a realização de 16 exposições individuais e a participação em dezenas de colectivas.

O consagrado crítico de arte espanhol, Tomás Paredes, escreveu sobre António Macedo: “Entrar no labirinto de claridade da sua obra, onde se cruzam a realidade e o desejo, a luz ténue, o passado e o futuro, o neo-realismo e o super-realismo”.

A exposição “Transcendências” de António Macedo, está patente, até ao próximo dia 20 de Novembro, das 15 às 24 horas, na Galeria de Arte do Casino Estoril. A entrada é livre.

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

The New Art Fest’17


Nesta segunda edição, o festival internacional de ‘new media’ foca a sua atenção no tema Lisboa Cidade Aberta, com mais de 50 autores, incluindo artistas, oradores e coletivos. A transformação tecnológica das cidades, a massificação das tecnologias de informação, representação e computação, os ‘locative media’, a inteligência artificial, a robótica, a ‘post-internet art’ e o novo turismo alimentado pelas redes sociais e pelos novos meios info-tecnológicos são algumas das referências da programação do The New Art Fest’17.

Entre os artistas confirmados encontram-se nomes como André Sier, um dos finalistas do prémio SONAE, que para além da sua participação no The New Art Fest’17, terá também uma exposição individual na Ocupart com inauguração a 16 de novembro, Margarida Sardinha, Tiago Rorke, o coletivo Oficinas do Convento, ou Leonel Moura, cujos robôs pintores recém-chegados da Expo Mundial de Astana serão exibidos na Web Summit, que conta também com a participação da artista, antropóloga e curadora Maria Lopes no painel de discussão “Arte e Cultura na Era Digital”.

O The New Art Fest’17 arranca no dia 10 de novembro, pelas 19h00, com a inauguração oficial da exposição Lisboa Cidade Aberta no Picadeiro do Museu Nacional de História Natural e da Ciência (MUHNAC). Trata-se de uma exposição de arte, conhecimento e técnica, focada nos novos relacionamentos entre as artes, a cidadania e as novas tecnologias e que mostra também, na secção ‘Maker Art’ dedicada aos coletivos de artistas e às plataformas criativas, o regresso das oficinas de arte, por contraposição aos solitários “ateliers de artista”.

Ao longo do festival, a iniciativa ‘Bit Street’ leva aos 48 painéis eletrónicos da rede TOMI Lx, acessíveis nas ruas e estações de metro da cidade de Lisboa, vídeos de curta duração. Nos dias 18 e 25 de Novembro, respetivamente, o The New Art Fest’17 promove dois passeios especiais: uma visita organizada à comunidade artística Oficinas do Convento, em Montemor-o-Novo, e uma deriva ‘psicogeográfica’ por Lisboa, com partida do MUHNAC, seguida de almoço e visita guiada à exposição.

Peste & Sida no Titanic dia 26 de Outubro às 23h00


Com o objectivo das reedições dos três primeiros álbuns (“Veneno” –1987, “Portem-se Bem!” –1989, “Peste & Sida é que é!” –1990) finalmente concretizado, os Peste & Sida apresentaram-se a 6 de Novembro de 2015 no RCA em Lisboa para celebrar com um concerto que acabou por se tornar mais um momento histórico.A noite adquiriu uma aura especial e emblemática pelas circunstâncias extraordinárias que se conjugaram: a localização no bairro de Alvalade, histórico para a banda, a lotação esgotada que em poucas horas deixou a sala a rebentar pelas costuras e a participação de treze convidados, músicos e amigos da banda que ao longo dos anos integraram as diferentes formações ou que colaboraram e contribuíram para a família Peste & Sida com o seu talento e criatividade, juntos de novo para revisitar os quase 30 anos de músicas dos Peste & Sida, num palco com duas baterias montadas e prontas a rockar em simultâneo.

Da autoria de RuiCanto, fotógrafo e amigo que tem acompanhado a banda nas suas actuações de norte a sul do país, fica o registo visual que documenta este espectáculo para a posteridade, complementado com uma captação áudio planeada em segredo entre o manager Jonny e o técnico de som Bruno Antunes. Esta gravação foi eleita pela banda para concretizar um objectivo há muito perseguido: a edição de um álbum ao vivo! Precisamente por ter sido feita sem o conhecimento prévio dos músicos, salvaguardando assim a espontaneidade e o que de mais genuíno há nos Peste & Sida: uma energia muito própria e característica de uma banda que se orgulha em ser essencialmente uma “live band” e que atinge os seus pontos mais altos no contacto directo com o público.

ORIENTE-SE – Festival de Teatro Amador


No dia 21 de Outubro, o ORIENTE-SE – Festival de Teatro Amador é dedicado aos mais pequenos. O Kaspiadas – Grupo Cénico da Casa do Povo de Pontével traz a peça “Farruncha”, de autoria de Jaime Gralheiro, que fala aos mais jovens das ilusões, fantasias e medos que marcam a infância. É já este sábado, às 16h00, no Auditório Fernando Pessa, em Lisboa, e as crianças até aos 12 anos não pagam.
O Festival ORIENTE-SE teve início no dia 30 de Setembro e prolonga-se até 4 de Novembro, acolhendo seis grupos oriundos de várias zonas do País. O anfitrião deste Festival é o Teatro Contra-Senso, grupo de teatro amador, sediado em Marvila, que este ano celebra duas décadas. A criação desta festa do teatro é a forma de comemorar o seu vigésimo aniversário. O actor Pedro Górgia é o Padrinho desta primeira edição de Oriente-se.



Valéria Carvalho canta Rui Veloso em Rui em Jeito de Bossa


Valéria Carvalho, actriz e cantora Brasileira do estado de Minas Gerais, tem um enorme reconhecimento em Portugal, onde se radicou em 1991, pelo seu desempenho no teatro, televisão e cinema. Na televisão portuguesa, trabalhou em várias novelas, séries e talk shows. É ainda criadora e directora da Casa da Língua Portuguesa. Porém, foi graças ao seu trabalho no teatro, e ao êxito formidável dos seus espectáculos, que ganhou a atenção e a admiração dos meios culturais: Chico em Pessoa (2012), em torno da obra de Pessoa e Chico Buarque de Holanda, que esteve presente na Casa Fernando Pessoa e em vários festivais. Em 2014 apresentou o espectáculo musical "Rui Veloso em Jeito de Bossa" no Centro Cultural Olga Cadaval. É na sequência deste espectáculo que surge o álbum "Rui em Jeito de Bossa".
O single de apresentação "Primeiro Beijo" conta com a participação de Mafalda Veiga. 



Coco nos cinemas portugueses a 23 de Novembro de 2017


Em Coco, apesar da proibição da sua família em relação à música, Miguel sonha em tornar-se num grande artista, como o seu ídolo, Ernesto de la Cruz. Desesperado para conseguir provar o seu talento e após uma série de misteriosos eventos, Miguel dá por si na maravilhosa e colorida Terra dos Mortos. Ao longo do caminho, encontra o encantador e vigarista Hector e juntos, partem numa viagem extraordinária, para desvendar a verdadeira história de família de Miguel. 

O filme é realizado por Lee Unkrich, co-realizado por Adrian Molina e produzido por Darla K. Anderson ("ToyStory 3").